Não estou arrependida. Não posso estar arrependida de escrever o que realmente sentia, talvez pudesse ter tido moderação nas palavras que proferi, mas foi genuíno. Disse tudo o que sentia e o que estava aqui guardado. Não te guardo rancor, não te desejo mal pelo o contrário. E se pensas ou se te passou sequer isso pela cabeça é porque não me conheces. Não és minha amiga ou uma pessoa que posso simples ignorar e excluir da minha vida. És da minha família e isso ninguém me pode tirar ou mudar. Disseste que me ia arrepender do que te tinha escrito, não sei se isso foi proferido num momento de raiva por nunca pensares que seria capaz de te escrever daquela maneira, mas fui. Sou uma mulher, não sou mais aquela criança indefesa que chorava por tudo e por nada. Sei o que está certo e o que está errado. E podia ser como o resto da família e ignorar-te, deixar-te estragar a tua vida, dizer "talvez ela um dia aprenda". Mas não sou, não consigo ver uma pessoa de quem gostava muito estragar a vida dela e de dois seres indefesos, três. Gostava que tudo fosse diferente, que nunca tivesse que escrever o que escrevi. Que voltasse tudo atrás, onde trocávamos cartas ou falávamos horas ao telefone. Gostava de te falar sobre ele. Sobre a minha vida. Mas não consigo, não consigo olhar-te da mesma forma. O que se passou contigo? O que se passa com esta família. Está tudo do avesso. Só gostava que não guardasses rancor de mim. Se te magoei, sim acredito que sim. Mas tive de o fazer, às vezes precisamos de levar dois abanões para perceber que estamos a fazer tudo ao contrário e a magoar as pessoas de quem realmente gostamos , as que  se preocupam connosco e que só querem o nosso bem. E sei que achas que ninguém te apoia, ninguém te compreende, e até podes ter razão, mas esses "ninguém" só querem o teu bem estar, acima de tudo a tua felicidade. Às vezes temos que cometer erros para aprender, e temos que cair para aprendermos a levantar. O problema é quando esses erros prejudicam as outras pessoas, o problema é que não estás sozinha e estás a magoá-los. E tenho medo que um dia te arrependas e seja tarde. Nada é garantido na vida e temos sempre que lutar pela a nossa felicidade, mas nunca passar por cima de ninguém, principalmente de quem ainda não se consegue proteger sozinho. Espero que percebas o que te estou a dizer. Isto não é um pedido de desculpas, até porque não te vou pedir desculpa pelo o que te escrevi, não estou arrependida.  Só te peço desculpa por não te ter dito há mais tempo o quanto errada estavas. "O abominável medo das pessoas, a abominável capacidade de saciar com metade aquilo que pode ser por inteiro, ela tinha medo, tanto medo, medo de errar, medo de não conseguir, medo de não dar o passo certo no sentido certo, muito menos na hora certa..."

Sem comentários: