Foi talvez uma das semanas mais difíceis que tivemos até hoje, não vou negar em dizer que pensei em por um ponto final, mesmo sabendo que me iria magoar. Só o facto de pensar na ideia de te perder me fazia estremecer. Não te queria perder, mas ao mesmo tempo não te queria perdoar. Quero que saibas que todos os vocábulos que foram proferidos, não foram propositados, apenas foram saindo de forma a tentar magoar-te, de tentar fazer-te sentir como eu me estava a sentir. Não foi a maneira mais correta, confesso, e ainda hoje o que disse, passou na minha cabeça vezes sem conta, tal como o que tu me disseste. Estou arrependida. Não sei como me deixei levar pela mágoa que estava a sentir e disse aquilo. E acredita que se pudesse voltava atrás, mas não posso. E desculpa, é a única coisa que posso proferir neste momento. Erramos os dois, fomos uns completos idiotas. Eu sei que não sou de todo a pessoa mais fácil do mundo, exijo demasiado atenção, sou complicada até dizer chega, mas acredita que só te quero fazer feliz e que o meu sentimento por ti é verdadeiro. E sei que vamos conseguir enfrentar todos os problemas que tem surgido no nosso caminho, juntos, como sempre. Tudo o que mais quero é que a nossa relação dê certo. Quero-te a ti, quero nós. E prometo que vamos voltar ao que eramos, prometo que daqui para a frente se depender de mim tudo vai dar certo. Não desisto de ti, muito menos de nós. Amo-te imenso, mas isso já sabes... sempre. Desculpa (T)

"Então, é disso que se trata o amor. Reconhecer os próprios erros e ceder até mesmo quando você estiver certo. Trata-se de escolhas, trata-se de escolher entre deixar-se levar pelos maus momentos a lembrar-se dos bons."

Sem comentários: